DESCUBRA O TOM DA SUA VOZ COMO ORADOR

Você já parou para ouvir e pensar na sua voz?

A voz fala mais do que as palavras e revela dados importantes sobre nós. Quando ligamos para algum estabelecimento, e o atendente diz “alô”, prontamente já conseguimos determinar algumas de suas características, como sexo, idade, tamanho, traços de personalidade e até o seu estado emocional.

Cada um de nós forma uma identidade vocal ao longo da vida, reflexo da história vivida e também do momento específico que estamos passando. A voz é o reflexo da nossa essência. Se estivermos alegres ou tristes, nossa voz mudará! Dessa forma, podemos dizer que temos “vozes variadas” e dependendo da situação, do interlocutor e do nosso estado mental e psicológico usamos diferentes qualidades vocais, porém alguns traços sempre se mantêm, e é o que nos identifica.

Modulamos nossa voz para falar com uma criança, com o cônjuge, ou ainda com nosso chefe. Toda essa mudança é um ótimo sinal, significa que estamos em sintonia com nosso interlocutor e que nossas estruturas realizam os ajustes necessários para tais mudanças.

E para falar com nossa plateia? Será que estamos modulando a voz de acordo?

Precisamos encontrar o tom certo para mandarmos nosso recado e passar a devida credibilidade e confiança para nosso público alvo.

Para que tenha consciência de como está se saindo ao falar em público, vale a pena usar um método bem simples: grave as suas apresentações. Seja crítico consigo mesmo para que consiga melhorar nos aspectos que conseguiu detectar. Peça a opinião de amigos e familiares para que progrida. Ouça! Nesse momento de autoanálise, se conseguir ser um bom ouvinte, com certeza, conseguirá se sair um ótimo orador! Conheça sua própria voz. Assim, você progredirá muito como orador.

Para ser um bom palestrante, é preciso ter um tom de voz forte e firme, natural, bem preparado e empostado da maneira correta.

Faça várias gravações da sua voz e encontre o tom que você deseja para passar a sua mensagem à plateia. A voz é uma declaração de uma missão. O tom é a aplicação dessa missão. É claro que a voz pode – e deve – ser melhorada e preparada, mas simplesmente se o orador fizer uma alternância estudada, bem planejada e alojada nos momentos certos, ele conseguirá manipular todo o conteúdo de um texto apenas com entonações e outras mudanças de apelo vocal. É importante que a expressão vocal seja alterada, portanto, de acordo com o conteúdo afetivo e com os objetivos da apresentação que se pretende realizar

Deixe uma resposta